Didática



COLÉGIO ESTADUAL PROF. MAGALHÃES NETO

DIDÁTICA - ENSINO NORMAL- MAGISTÉRIO

PLANO DE CURSO- Margarida Jansen



EMENTA:

Identifica educação, escola, sociedade, teoria do ensino e formação do educador.Analisa a organização do trabalho docente (aspectos teóricos e metodológicos) e os processos de construção do conhecimento e avaliação da aprendizagem.


OBJETIVO GERAL:

· Compreender a organização do trabalho docente, em seus aspectos teóricos e metodológicos, a sua função no processo de construção do conhecimento escolar, mediante demandas educacionais solicitadas pelo contexto sócio econômico, cultural e ideológico atual.


OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

· Compreender o conceito e as perspectivas da didática mediante a função social do ensino ao longo da historia, até chegar aos dias atuais, a partir das contribuições deixadas pela filosofia, antropologia, sociologia, psicologia e pedagogia;

· Compreender e analisar as diferentes concepções pedagógicas dos processos de construção do conhecimento e da aprendizagem, tomando como referencial o contexto sócio-político, cultural e educacional brasileiro atual;

· Refletir e discutir sobre as competências necessárias ao educador mediante sua função educacional frente ao contexto sócio, político, cultural e econômico da sociedade brasileira;

· Refletir e promover auto-análise do aluno enquanto educando do curso de magistério e das suas necessidades para alcançar sua formação enquanto educador;

· Compreender as diferentes perspectivas do conceito de avaliação a partir dos referencias teóricos sobre o processo de ensino aprendizagem sócio-construtivista.

METODOLOGIA:

· Exposições temáticas dialógicas;

· Apresentação de seminários didáticos com produção de relatórios;

· Atividades de Auto-avaliação dos seminários;

· Estudos reflexivos dirigidos;

· Estudos Intertextuais a partir da análise de filmes e textos

· Resenha critica de obras solicitadas;

· Produção de relatório levantamento do perfil de grupo-classe com base nas atividades de estágio realizadas durantes os estágios curriculares;

· Atividades de produção de resumos; memórias de aula;

· Análise sobre filmes (“A Missão”, “Paulo Freire”, “Nenhum a Menos”, etc...


AVALIAÇÃO:

* Debates
* Pesquisas
* Produção de Textos
* Charges
* Painéis
* Dramatizações
* Interpretação de filmes
* Interpretação de textos em equipes ou individuais
* Provas e testes


PROGRAMAÇÃO DE CONTEÚDOS
I UNIDADE

A Didática, a escola e a sociedade

* A Educação e a Didática em diferentes concepções pedagógicas;
* Pedagogia – conceitos, aspectos, divisão e objeto;
* Didática – conceito dados históricos:

Objetivo

Divisão

Didática da Escola Tradicional e Moderna

Didática e Metodologia


I I UNIDADE

* Objetivo de ensino: Importância, Níveis, Classificação, Formulação.
* Áreas: Cognitivo, Afetivo e Psicomotor;
* Conteúdo de ensino: Conceito, Seleção, Organização;
* Métodos e Técnicas de Ensino;
* Recurso de Ensino;
* Relação Pedagógica Professor – Aluno – Conhecimento;


III UNIDADE

* Planejamento de Ensino
* Conceito e Importância;
* Níveis: Preparação – Curricular – Ensino;
* Fases: Preparação , desenvolvimento- Aperfeiçoamento;
* Tipos plano curso, plano unidade, plano aula


IV UNIDADE

* Avaliação do Ensino;
* Conceito;
* Diferentes propostas e perspectivas;
* Finalidades da avaliação;
* Técnicas e Instrumentos de Avaliação.


PLANO DE ATIVIDADES AVALIATIVAS

ATIVIDADE/TEMA

Seminários Didáticos sobre Tendências Pedagógicas

Objetivo da Atividade: Estudar e compreender as perspectivas pedagógicas e sócio culturais das pedagogias de Paulo Freire, Maria Montessori, Jean Piaget, Henry Walon, Jonh Dewey, Lév Vygotsky, Celestin Freinet, em função ao processo de ensino e da aprendizagem.

AGRUPAMENTO: Equipe/dupla

REALIZAÇAO: Apresentação seqüencial

INFORMAÇOES METODOLÓGICAS:

1. A equipe deverá realizar a apresentação do seminário no tempo máximo de uma hora-aula;
2. Cada equipe deverá elaborar uma estratégia metodológica para apresentação do tema de forma dinâmica, clara e objetiva. Vale ressaltar, que as equipes que realizarem apresentações lendo o texto perderão pontuação;
3. A equipe deverá produzir um resumo do seminário em uma lauda baseado na referencia teórica indicada, podendo ser acrescentado outras fontes, desde que citados nas referencias bibliográficas:

a) O texto apresentado deverá conter as seguintes informações: título da abordagem apresentada; dissertação do tema principal e dos enfoques secundários abordados; conclusões da equipe a partir do enfoque abordado, referencias bibliográficas.

b) O texto deverá obedecer às normas das ABNT.

c) Formato de estrutura do texto: impresso em 1 via digital, disquete ou CD, a ser entregue no dia do seminário.

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO:

1) Os critérios de avaliação utilizados para o texto estão dispostos neste Plano de Curso.

2) Todos os componentes da equipe apresentarão o trabalho e serão analisados individualmente e no grupo.

3) Os critérios de avaliação da apresentação:

a) Individual: segurança e domínio de conteúdo, clareza na comunicação, organização da apresentação e integração com a equipe.

b) Coletivo: comunicação, metodologia da apresentação utilizada, exposição do tema, equipe, criatividade e avaliação de aprendizagem dos alunos.

4) A avaliação será realizada pela professora e pelos alunos numa auto-avaliação qualitativa.



ATIVIDADE/TEMA

Estudo intertextual

Objetivo da Atividade:
Refletir acerca da função do ensino e da aprendizagem na sala de aula, buscando apreender a educação para a sociedade atual a partir do estudo dos textos indicados e da analise de trechos dos filmes “A Missão”, “Paulo Freire”, “Nenhum a Menos”.

AGRUPAMENTO: Individual

REALIZAÇAO: Produção de texto em sala de aula.



INFORMAÇOES METODOLÓGICAS:

Estudo dirigido a ser entregue em sala de aula. Referencia teórica de fundamentação textos de Libâneo, Perrenoud e Meireu.

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO:

1) Os critérios de avaliação utilizados estão dispostos neste Plano de Curso;

2) Quando for percebida na atividade produzida a ocorrência de questões com respostas muito semelhantes ou iguais em diferentes trabalhos, as mesmas serão anuladas.

3) A avaliação será realizada pela professora.



ATIVIDADE/TEMA

Memória de aula



Objetivo da Atividade:

Produzir texto narrativo abordando os temas trabalhados em sala, possibilitando o resgate do conteúdo pelos alunos do tema.

AGRUPAMENTO: Dupla

REALIZAÇAO:
Será realizada uma apresentação do texto no inicio da aula.

INFORMAÇOES METODOLÓGICAS

1) Cada equipe deverá apresentar seu texto na aula seguinte com a leitura do texto construído. O mesmo deverá ter no máximo três laudas, devendo ser escrito de forma narrativa, evidenciando apresentar apenas as seguintes informações:

a) Identificação do aluno;

b) Data da observação e o tema abordado no encontro;

c) Abordagem dos conteúdos trabalhados;

d) Estratégias didáticas utilizadas para trabalhar o tema;

e) Análise das aprendizagens realizadas para vida profissional ou análise das estratégias utilizadas para abordar o tema.

f) Indicação teórica dos textos abordados na aula.

2) Esse texto deverá ser disponibilizado em formato digital, sendo entregue em CD, diskete e impressa uma cópia a ser entregue à professora no dia da apresentação.


CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO


1. A avaliação será realizada pela professora, considerando que a produção escrita será submentida aos critérios apresentados neste Plano;
2. O aluno que não estiver presente no dia da observação para construção da memória, a atividade será re-agendada, sendo convidado a fazer a atividade o aluno subseqüente.
3. O aluno que for construir a memória deverá estar na sala, pontualmente, ao inicio da aula a ser observada.


CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO:

* Pontualidade;
* Qualidade e criatividade na execução dos trabalhos;
* Coerência e profundidade na abordagem temática abordada;
* Organização da estrutura textual;
* Elementos da linguagem utilizados nas produções escritas;
* Conformidade com rigor cientifico e fundamentação teórica adequada seguindo normas de produção acadêmica;
* Participação e envolvimento nos trabalhos realizados em grupo.


ATENDIMENTO EXTRA-CLASSE

Os alunos poderão estabelecer contato com a professora de forma presencial ao à distancia, segundo a disponibilidade e necessidade de esclarecimento de dúvidas, orientações para estudo e/ou pesquisa podendo ser agendados horários para atendimento presencial semanal na coordenação de estágio às sextas-feiras. Para contatos à distância através do e-mail margojansen1@hotmail.com

Ou http://margothjansen.blogspot.com

http://margothjansenaulas.blogspot.com/

O objetivo de uso deste espaço virtual é:

* Integrar e familiarizar o aluno para o uso da informática e das tecnologia de comunicação e informação ao longo da vivencia da disciplina de Didática, do curso de Magistério;
* Socializar as informações e produções desenvolvidas em sala de aula referentes à disciplina de Didática.



COLÉGIO EST. PROF. MAGALHÃES NETO

MARGARIDA JANSEN

I UNIDADE

DIDÁTICA

O vocábulo didática deriva da expressão grega Τεχνή διδακτική (techné didaktiké), que se traduz por arte ou técnica de ensinar.

Grosso modo, podemos dizer que a Didática é uma ciência cujo objetivo fundamental é ocupar-se das estratégias de ensino, das questões práticas relativas à metodologia e das estratégias de aprendizagem. Sua busca de cientificidade se apoia em posturas filosóficas como o funcionalismo, o positivismo, assim como no formalismo e o idealismo.
Sintetizando, poderíamos dizer que ela funciona como o elemento transformador da teoria na prática.

Um pouco de História

Entre os anos 20 e 50, a Didática segue os postulados da Escola Nova, que busca superar os da Escola Tradicional, reformando internamente a escola.
Nessa perspectiva, afirma a necessidade de partir dos interesses espontâneos e naturais da crianças: os princípios de atividade, individualização e liberdade estão na base de toda proposta didática. Passa-se da visão da criança como um adulto em miniatura para centrar-se nela como ser perfeitamente capaz de adaptar-se a cada uma das fases de sua evolução.
Do aluno passivo ante os conhecimentos a serem transmitidos pelo mestre passa-se ao "aprender fazendo" onde cada um se auto-educa ativamente em um processo natural, sustentado por meio dos interesses concretos dos participantes. A atenção às diferenças individuais e a utilização de jogos educativos passem a ter papel de destaque.
Em uma etapa posterior, entre os anos 60 e 80, se passa de um enfoque humanista centrado no processo interpessoal, a uma dimensão técnica que enfoca o processo ensino- aprendizagem como uma ação intencional, sistêmica, que procura organizar as condições que melhor facilitem o processo de aprendizagem. Centra-se em objetivos instrucionais, na seleção de conteúdos, nas estratégias de ensino, destacando-se palavras como produtividade, eficiência, racionalização, operatividade e controle.
A perspectiva industrial adentra na escola e a didática é vista como uma estratégia para alcançar os produtos previstos para o processo de ensino- aprendizagem. A ênfase é colocada na objetividade, racionalidade e neutralidade do processo. O referencial central da educação passa a ser a fábrica e sobre ela se constroem tanto as ações na escola como as conceitualizações referentes à educação.
Essa didática se descontextualiza dos problemas específicos da situação específica da sala de aula e não proporciona elementos significativos para a análise da prática pedagógica real, produzindo uma separação entre teoria e prática.
A partir dos anos 70 se acentuam as críticas a estas perspectivas didáticas. Seu efeito positivo foi a denúncia da falsa neutralidade pretendida pelo modelo tecnicista, revelando seus componentes político- sociais e econômicos.
Na atualidade a perspectiva fundamental da didática é assumir a multifuncionalidade do processo de ensino- aprendizagem e articular suas três dimensões: técnica, humana e política no centro configurador de sua temática.

Características dessa Didática

· partir da análise da prática pedagógica concreta e seus determinantes;

· contextualizar a prática pedagógica e procurar repensar as dimensões técnicas e humanas contextualizando-as;

· analisar as diferentes metodologias explicitando seus pressupostos, o contexto em que surgiram e a visão de homem, de sociedade, de conhecimento e de educação a que responde;

· elaborar a reflexão didática a partir da análise e reflexão sobre experiências concretas, procurando trabalhar continuamente a relação entre a teoria e a prática;

· assumir o compromisso com a transformação social, com a busca de práticas pedagógicas que tornem o ensino eficiente para a maior parte da população;

· ensaiar, analisar, experimentar;

· romper com as práticas profissionais individualistas promovendo o trabalho comum de professores e especialistas;

· buscar formas de manter as crianças na escola;

· discutir o tema do currículo e sua interação com uma população concreta e suas exigências concretas.

DIDÁTICA E CURRÍCULO

O termo currículo aparece pela primeira vez com o significado de planificação do ensino na obra de Bobbit "The curriculum" em 1918.
A princípio, didática e currículo se desenvolveram de forma paralela sem que interferência de uma no campo da outra, referindo-se cada uma a conteúdos, sujeitos e finalidades diferentes.
Somente a partir dos anos 60 o currículo começa a formar parte do campo da didática, alternando-se sua incumbência segundo predomine uma forma ou outra de entender a educação e a didática.
A tendência atual considera imprescindível uma integração entre currículo e didática, esta, favorecendo o trabalho de aula.
Os estudos curriculares tendem a aspectos mais globais, expondo como se realiza a seleção e organização do conhecimento e como esse processo de seleção não é neutro, favorecendo a certos grupos frente a outros.
O enfoque curricular há de ampliar o "que", o "porque", o "para que" e em que condições há que levar-se a cabo o ensino, mas, sempre colocando no centro de suas considerações o aluno. Para que estes conteúdos curriculares cumpram seu objetivo é necessária uma adequada seleção e uso acertado das melhores estratégias didáticas, que não poderão ser independentes co conteúdo, dos objetivos e nem do contexto. È importante para alcançar as metas pretendidas uma estreita colaboração entre a elaboração do currículo e a escolha de estratégias didáticas.

O papel da Didática

O papel da Didática na formação de professores foi muito bem tratado por Cipriano Luckesi e alguns conceitos que seguem são um resumo de seu pensamento sobre o tema.
A didática para assumir um papel significativo na formação do educador não poderá reduzir-se e dedicar-se somente ao ensino de meios e mecanismos pelos quais desenvolver um processo de ensino -aprendizagem, e sim, deverá ser um modo crítico de desenvolver uma prática educativa forjadora de um projeto histórico, que não será feito tão somente pelo educador, mas, por ele conjuntamente com o educando e outros membros dos diversos setores da sociedade.
A didática deve servir como mecanismo de tradução prática, no exercício educativo, de decisões filosófico- políticas e epistemológicas de um projeto histórico de desenvolvimento do povo. Ao exercer seu papel específico estará apresentando-se como o mecanismo tradutor de posturas teóricas em práticas educativas.

TEXTO REFLEXIVO

A Difícil Arte de Ensinar

Aquele professor não tem didática! Esta frase é constante entre os alunos secundaristas e também universitários quando comentam sobre a aula de algum professor que pode até ser um excelente pesquisador e que com certeza tem domínio de alguma disciplina mas que não consegue fazer uma ponte entre o que sabe e o aluno. Isto é comum e mostra realmente que para ser um bom professor não basta apenas saber, tem que saber ensinar, o que envolve outros requisitos além de um conhecimento profundo do conteúdo.

O ensinar não envolve apenas as práticas que o professor possui, mas também as maneiras pelas quais ele irá dispor desses conhecimentos em sala de aula. A tão comentada didática, já vem desde os tempos imemoriais dos gregos1 e significa um modo de facilitar o ensino e a aprendizagem do aluno de modos e de condutas desejáveis. Isso requer um determinado esforço por parte do educador, uma prática pedagógica bem construída, planejamento de suas aulas levando em consideração as necessidades do aluno e seus conhecimentos prévios. A preparação de quem deseja ensinar envolve conhecimentos teóricos, não apenas de física, mas também de teorias de aprendizagem, epistemologia, história e filosofia da ciência que contribuem claramente para desenvolver uma capacidade mais profunda e crítica2. Além disso, o professor não deve fazer de sua prática educacional um ato burocrático, que apenas ensina o que está nos livros, ou no currículo por ele desenvolvido, simplesmente despejando conteúdo na cabeça dos alunos, tratando-os como baldes mentais (teoria do balde mental de Popper), sem ter uma preocupação real se de fato a aprendizagem está sendo construída.

Como pode-se perceber, são muitos os requisitos que fazem a diferença entre o professor que sabe e o que sabe ensinar. Infelizmente, hoje criou-se a imagem de que qualquer um pode ensinar, basta se munir de um Bonjorno e a aula de física está garantida, o que vem banalizar muito o ensino de física nas escolas. Há pouco tempo (2 ou 3 meses atrás), a região do Vale dos Sinos abriu inscrições para contrato emergencial onde, devido à grande dificuldade de se encontrar professores de física, estavam requisitando até mesmo alunos de primeiro semestre, isso quando não são contratados profissionais de outras áreas como engenharia e biologia.

Reafirmando o que disse anteriormente, a formação de um educador não requer somente as aprendizagens cognitivas sobre os diversos campos do conhecimento, que sem dúvida é importante (porque deve-se saber para ensinar), mas também deve haver uma preparação filosófica, científica, técnica e até afetiva para o ofício de ensinar. Conhecer a história da ciência torna o ensino de física mais rico e fascinante, apresentando-a como uma ciência viva, como construção humana; conhecer um pouco mais sobre a história dos grandes cientistas ajuda a motivar os alunos para o aprendizado, aguçando o seu interesse e a sua curiosidade, mostrando-lhes que os conhecimentos não são definitivos e que ainda há muito o que se fazer e descobrir.

Os conhecimentos epistemológicos auxiliam o professor a detectar dificuldades e obstáculos que estejam impedindo a aprendizagem do aluno. As dificuldades são diferentes de obstáculo, enquanto a primeira é técnica (não saber usar alguma ferramenta matemática, por exemplo), a segunda por sua vez já se trata daquelas concepções que os alunos trazem (as chamadas concepções alternativas), que não lhes permitem apreender o significado correto de alguma teoria física. Neste sentido, conhecer os filósofos da ciência contemporâneos3 pode ajudar e inspirar o professor a encontrar estratégias didáticas que auxiliem o aluno a fazer a mudança conceitual, o que não se consegue apenas com aulas expositivas no quadro-negro e simples deduções de fórmulas.

E, apesar de tudo isso que tenho colocado, é importante salientar que um educador nunca estará definitivamente pronto, formado, pois a sua preparação e maturação se fará no dia-a-dia, na reflexão constante da sua prática.

ATIVIDADE

Em poucas linhas, digitado ou manuscrito, faça uma resenha crítica sobre o texto acima.



5 comentários:

  1. Anônimo2/1/13

    sou profª de didática da educação infantil mor em santa catarina gostaria de trocar idéias gostei muito da sua proposta de ensino meu facebook é jucimara_65 @hotmail.com umgrande abraço

    ResponderExcluir
  2. Anônimo19/5/13

    Prof Margarida, estou iniciando um trabalho num instituto de educação e lecionarei Geografia no EM, e Didatica do ensino da Geografia para o curso Normal, aproveiratei seu material para trabalhar os futuros colegas...gostaria de cadastrar-me em seu blog afim de trocar ideias e aproveitar suas vivencias e experiencias em educação para melhorar a performance.

    Grato,

    Gilberto Teles - pretoghil@gmail.com

    ResponderExcluir
  3. Anônimo30/6/13

    gostei muito de seu trabalho.

    ResponderExcluir
  4. Anônimo3/7/13

    ALESSANDRA FRANCO:
    OI GOSTEI MUITO DO BLOG,ELE POR SI SÓ JÁ É DINÂMICO E ME AJUDOU MUITO NA MINHA PESQUISA,UM ABRAÇO E ESPERO MAIS AULAS MOTIVADAS.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo2/6/14

    eu precisava da resenha nao so boa em fazer textos

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário...